“O profundo mistério do meu ser freqüentemente me é oculto pelo conceito que faço de mim mesmo. A idéia que faço de mim mesmo é falsificada pela admiração que tenho por meus atos. E as ilusões que acalento a meu respeito são produzidas pelo contágio das ilusões de outros homens. Cada qual procura imitar a imaginária grandeza do outro.Se não me conheço, é que penso ser a espécie de pessoa que meu círculo desejaria que eu fosse. Talvez nunca me tenha perguntado se realmente desejo ser aquilo que os outros parecem querer de mim. Se somente me desse conta de que não admiro o que todos parecem admirar, talvez começasse a viver realmente. Passaria a me ver liberto do doloroso dever de dizer o que realmente não penso e de agir de uma forma que atraiçoa a verdade de Deus e a integridade da minha alma.”

Do livro:
MERTON, Thomas. Homem algum é uma ilha.Verus Editora: Campinas, 2003. p. 115-116

3 Comments

  1. Fernanda Says:

    Sim, sim!
    Descobrir o nosso "eu" e poder usá-lo sem medo das pressões exercidas sobre nós para sermos algo que não somos!
    Tirar as máscaras e os disfarces!

    \o/

     
  2. Felipe Says:

    Interessante ver como a vida pode nos apresentar em cada um de nossos passos ....
    não saber medir seu passo significa não saber onde está pisando, é por isso que todo e qualquer passo tem de ser dado com consentimento pois qualquer passo em falso pode nos custar algo bem grande. Não digo que quem faz uso de passos falsos seja passível de julgamento, muito menos o meu, mas é muito bom caminhar pela visa sabendo que seus passos estão estruturados em Alguém maior que guia seu caminho e sabe te dar a direção ! Siga apenas os passos de pessoas que te encaminham para Deus, pois este caminho mesmo não sendo o mais fácil é a certeza de que um dia chegaremos a algum lugar, chegaremos à salvação ...

     
  3. Andréa Says:

    Olaa Diego!
    Por indicação de uma amiga (Drika Laranjeira) estou visitando o seu blog. Parabéns pela sensibilidade em mostrar seus sentimentos através das palavras!
    Grande abraço!