E daeh, blz?
Saudades de postar aqui no blog.
Tô num tempo de silêncio mesmo...
Quero contar o que tem acontecido de bom na minha vida...

1- RETIRO AGAPETERAPIA...
Uma das coisas mais importantes que aconteceram na minha vida até hoje. Acabo de fazer o agapeterapia. É um retiro nacional de cura interior, promovido pela RCC Nacional. Quem coorderna é a Reinalda Reis. Uma semana recebendo oração por cura e libertação, com uma pessoa que acompanha espiritualmente, além de duas psicólogas, e é claro, Jesus Cristo Sacramentado. Foram dias intensas de profunda cura e reflexão. Descobri ainda mais que Deus me ama e quer me ver espalhando o amor dele. Visite o site e agende um retiro. Ele acontece todos os meses. http://www.agapeterapia.com.br/

2- PRIMEIRO LUGAR EM PSICOLOGIA
Há alguns dias eu havia anunciado o interesse em fazer a faculdade de psicologia. Fiquei muito feliz pois depois de me formar em Rádio e Televisão, começarei a estudar psicologia. Passei em primeiro lugar no processo seletivo especial na UNIVALI - Universidade do Vale do Itajaí - Santa Catarina. E é para lá que eu vou...reze por mim...

3- LEIA O EVANGELHO MALTRAPILHO...
Este livro foi uma indicação de um amigo. Eu tô lendo muita coisa agora, mas este livro foi um dos que mais me marcaram. Vale a pena. Anote aí: O EVANGELHO MALTRAPILHO.


CONTATO: "Foi para a liberdade que Cristo nos libertou..." (Gal 5,1)

Muitos amigos estão pedindo meu e-mail. Aqui está: galatascincoum@gmail.com

Abração...
Tudo de bom...
Dum spiro, spero!!!

Diego Fernandes




Quando me desliguei da Comunidade Canção Nova, fui para Palmas-TO. Assim que cheguei lá, recebi um choque dos céus! O evangelho do meu primeiro dia na cidade era o do filho pródigo (Lucas 15). Ao final da missa recebi um abraço curador. Dom Alberto, me acolheu e disse que desejaria ser o Pai que acolhia o filho perdido. Me emocionei. Sabia que Deus me amava, mas ali diante dos meus erros, recebi um abraço que me deu esperanças de ser, de fato, uma nova criatura. Olhei nos olhos daquele bispo e disse: “Dom Alberto, este abraço significou muito para mim. Não vou nem pensar em deixar a Igreja por causa disso”. Senti que Deus me amava ainda mais depois de uma confissão geral. Nesta, você recorda todos os seus erros do passado e expõe para o confessor. Eu chegava ali para ser purificado, então porque não se lançar de cabeça? Foi o que fiz. Confissão geral para um bispo. Contei todos os meus erros. Não omiti nenhum. Pedindo perdão para aquele homem da Igreja era como se tivesse pedindo perdão a todos os que ofendi dentro e fora da Igreja, aos que causei transtornos nesta vida, aos que decepcionei e magoei.

Respirei e lembrei do show do lançamento do meu CD Folha em branco onde cantei desesperadamente para muitos: “Pra Deus não existe nenhum caso perdido!” Ali, quem precisa ouvir, cantar, rezar e acreditar nesta frase era eu. Acreditei. Por isso estou de pé. Não por minhas forças, mas porque Deus me levantou e quis que eu caminhasse. Sou fraco. Talvez o mais fraco, reconheço. Não digo isto para me fazer de vítima ou para justificar meus erros, mas para que eu mesmo entenda o quanto preciso vigiar e por que esta é a realidade. Não é a toa que gosto da frase bíblica “Cum vere infirmior tunc potens sum” (“Quando verdadeiramente sou o MAIS FRACO então é que sou forte!”). Deus é a minha força! Sem Ele não sou ninguém. Em Palmas-TO vivi dias intensos de purificação. Compus muitas músicas já que talvez seja a melhor forma que encontrei para falar com Deus. Uma delas diz assim: “Converte meu coração, oh Deus! Eu quero de novo acreditar que podes curar-me, que podes mudar-me, fazer de mim nova criatura. Eu me agarro em ti! Me seguro em teu amor! Tu és a minha ajuda, pois eu sou tão fraco, sou tão pecador! Converte-me, Senhor!” É isso que estou pedindo a todo instante: “Converte-me, Senhor”.

Passei vários dias no seminário menor da diocese. Ali encontrei amigos e pessoas que me incentivaram a continuar a missão. Um amigo me fez perceber que Deus perdoa, ama, restitui a dignidade e não nos quer envergonhados, de cabeça baixa como pessoas derrotadas: Ricardo Frade, psicólogo e diácono, foi realmente uma grande luz. Os atendimentos me deram esperanças para viver.

Fiquei alguns dias na casa de outro amigo (Padre Edmilson Vaz) numa cidade do interior do Tocantins chamada Aparecida do Rio Negro. Cantar na paróquia ou na casa das famílias me ajudou a ver o quanto é lindo ser simples. Deus é simples. Ele ama os pobres. Padre Edmilson entendeu isso e talvez esse seja um dos motivos de ter saído de Roma e escolhido estar no interior do interior do Tocantins.

Na busca do sentido da minha vida, iniciei o tão sonhado curso de http://www.logoterapia.com.br/ com dois amigos psicólogos que conquistei: Felipe Savietto e Talita Prates. Espero que consigamos continuar. É uma pós-graduação que leva de 2 a 3 anos. Estou feliz por terminar a faculdade de Com. Social – Rádio e TV. Agora, nesta busca...vou iniciar a faculdade de psicologia. Talvez eu me entenda e consiga encontrar o equilíbrio e harmonia para minha vida.

Quando estive no Tocantins Deus me mostrou alguns caminhos. A Comunidade Jesus Menino estava constantemente em minhas orações, até que por providência conversei com o fundador. O Tonio me convidou a passar um tempo com eles para ser curado, amado, purificado, restaurado. Aqui estou, em Petrópolis-RJ, experimentando o amor de Deus por meio das pessoas com necessidades especiais. Eles são fortes. Têm esperança. O Alex e o Felipe já são meus amigos. Eles cantam e compõem. Lembro de uma vez quando foram em Cachoeira cantar numa Quinta-feira de adoração. Poxa, que experiência de Deus. Na verdade, eu sempre gostei desse trabalho e já estava conversando com o Tonio para fazer um retiro com eles. Agora, penso que Deus me deu mais do que um retiro. Vou abraçar esta oportunidade. É um tempo novo...de arrependimento, purificação e conversão! Fiz muitos amigos que são pessoas com necessidades especiais, assim como o meu coração está agora. Impressionante o primeiro dia. A frase do Alex ecoa na minha mente. Sem saber de nada ele me disse:

“Diego, volte a cantar. Deus é amor!”

Chorei. É tempo de silêncio e arrependimento. Oração e escuta. Ali, porém, tive a certeza: Deus quer usar dos especiais para falar comigo! A cada comida que eu dou a eles, sinto que Deus cuida de mim. Um sorriso que arranco fazendo palhaçada, a là doutor da alegria (um sonho antigo), me faz acreditar que mesmo com cruzes a vida pode de fato ser cheia de luzes.

O Tonio me colocou numa casa onde estão os que têm limitações para alimentar-se, tomar banho, ir ao banheiro, etc. Estou fazendo amizade e aprendendo a cuidar deles a cada minuto. Nunca pensei que sentiria tanta alegria. Tem a Leonara, que desfila o tempo todo e sorri de vez em quando. A Marlene, que fica com um arquinho lindo na cabeça e tem idade mental de uma criança, e arranca qualquer bijuteria que você tenha na mão. Falando nisso, tem a Rita, que estuda fora, e aprendeu a fazer bijuterias, ela disse que vai me mostrar, toda orgulhosa. A Verinha, muito carinhosa ajuda até aos outros dando comida, e pegando no colo. Tem os autistas, Ricardo e Rodrigo, pra mim já são o Cadinho e o Digão. O Digão gosta quando fico assobiando. Ele aprendeu isso. Tem o Iago, um bebê de 4 anos, que cativa a gente com o olhar e ama pular. Gosto de segurá-lo no colo. O Aarão, fala com os olhos. O Rafael depois de muito tempo, sorriu, puxa que alegria ver aquele cara rindo. Ele tem idade mental de criança. O Luizinho come por uma espécie de sonda e fica calado. Ali é dar carinho cuidando. Ajudando a cuidar dos especiais tem a Lady, que está fazendo caminho para entrar na comunidade, a Nilma, que é a mãe da casa e já é consagrada, e o Daniel que era da fazenda esperança e está passando um tempo aqui. Além de todos nós têm as enfermeiras. Fora da casa onde fico o dia inteiro ainda tem muita gente que está me fazendo feliz: Maninho, que te acolhe de cara. O André, que pede o tempo inteiro pra você jogar bola com ele. O Sandro, que ama dançar e correr apesar das limitações na perna. Ensinei a ele alguns passos de hip hop. Impressionante a alegria. O Jojô que aprendeu a gostar de psy trance. Faço beat box com a boca e ele curte muito e dança. O Xandinho que fala 300 mil vezes com o dedo na minha cara "Eu te vi na televisão, tio!"

Olha se for falar dos consagrados e dos filhos da comunidade vou escrever muitoooo...o importante aqui é que estou tendo oportunidade para valorizar a vida, tendo esperança diante do sofrimento.

Cada dia é uma folha, não é ? Uma chance... eu sempre acreditei no que cantei...é por isso que estou aproveitando para escrever bem cada linha neste recomeço...

Se for rezar por mim, reze também por eles.
É um trabalho lindo!
Conheça: http://www.comunidadejesusmenino.org.br/
Click nas imagens para conhecer o folder de divulgação...

Um abraço aos meus amigos...
Dum spiro, spero...

Diego Fernandes


“A vida segue seu rumo
Vou escrevendo minha história
A cada dia eu recebo
Uma folha em branco do criador!
Vou escrever o hoje...
Sem me preocupar com o amanhã!
Sim, já passou o ontem!
Só quero ficar com o que é bom!
Eu não tenho medo de tentar!
Parar! Pensar! Mudar!”

Com esperança sigo o que Deus tem pra mim. Mesmo sendo tão fraco e pecador, eu tenho certeza: Deus me escolheu. Ele cuida de mim. Ele é o meu Mestre, Senhor da minha história. Saí de casa aos 14 anos de idade para entregar minha vida integralmente a Ele como missionário. O tempo passou. Hoje, com 25 anos constato: É Deus quem me orienta! Comunico aos amigos que pedi o desligamento jurídico da Comunidade Canção Nova. Foram quase 8 anos. Fiz muitos amigos. Vivi experiências de Deus únicas. Aprendi muita coisa, e a Canção Nova será sempre a minha família. O desligamento jurídico não significa desligamento afetivo e muito menos espiritual. Percebi o quanto foi difícil para mim e para os meus irmãos essa decisão. Os laços são mais fortes do que os de sangue. Recebi muito amor e amei. Só posso dizer: Sou da família Canção Nova para sempre. Somos uma comunidade de amor e adoração. Ali fui amado, respeitado e acolhido. A Comunidade Canção Nova é uma obra de Deus. Agradeço imensamente a todos que participaram comigo desta história. Os caminhos que trilhei me levaram para outro lado. A todos os meus irmãos-amigos eu só posso dizer:


“Obrigado! Rezem para que Deus seja vitorioso em mim! Perdão pelos transtornos que causei, e reguem as sementes da Revolução Jesus que eu plantei”.

Hoje estou buscando o discernimento vocacional do meu ministério e o rumo da minha própria vida com a ajuda de Dom Alberto Taveira e dos meus amigos Diácono Ricardo Frade (psicólogo) e Padre Edmilson Vaz em Palmas-TO. Mais do que CD, programas de TV, livros, etc..., eu quero é me descobrir em Deus. Eu nunca busquei sucesso. Eu sempre busquei ser fiel. Vivo um tempo de silêncio, penitência, e busca da minha conversão. Per crucem ad lucem (Pela cruz chegar à luz!). Entreguei todos os meus dons e trabalhos missionários para Ele e sei que Ele tem o melhor pra mim ainda que eu não entenda. Não tenho medo do futuro. Minha vida está abandonada em Deus agora. Para onde Ele me mandar, irei. O que Ele quiser que eu faça, eu farei. Não adianta planejar. Agora é abandono total em Deus. O importante é caminhar! Sei que não estou sozinho. Sigo meu caminho, pois em todos esses anos encontrei amigos de verdade que são luzes pra mim. Muitos são da própria Canção Nova. Minha vida não ficará escura enquanto houver amigos iluminando as minhas trevas. É por isso que não me cansarei de cantar: “Deus, vem me mostrar, qual a direção? Quero aprender a sonhar. Preciso me encontrar. Envia Senhor, LUZ para meu caminhar!” e também ...

“Deus me toma pela mão. Indica a direção. Me leva pra onde quiseres...Sou teu...Cada passo que dou. Sinto teu amor. Que cuida que mim pois sabes quem eu sou ...”

Obrigado pela compreensão, amizade e oração de cada um!
Amo vocês!

Dum spiro, spero...

Diego Fernandes


“A oração é a única forma de revolta que permanece de pé.”
Reflexões de um espectador culpado, de Thomas Merton


Esta frase de Merton nos leva a um caminho seguro: Revoltas, sem oração, sem o filtro da espiritualidade cheia de sinceridade, não levam a lugar algum. São vazias. Só fazem barulho. Choramingar, brigar, gritar... é o que fazem os que não têm Deus. Nós brigamos, choramingamos, gritamos, mas nos calamos...se preciso for. Saber o tempo de cada coisa... é a diferença que pode parecer sutil, mas é essencial. Outro texto de Merton, comentando Bernanos:


“ ‘Os santos’ — disse Bernanos [o conhecido autor do Diário de um pároco de aldeia] , ‘não são pessoas resignadas, pelo menos no sentido em que o mundo o acredita. Se sofrem em silêncio as injustiças que perturbam os medíocres, é de maneira a voltar contra a injustiça, contra sua face dura, toda a força de suas grandes almas. As cóleras, filhas do desespero, se insinuam e se debatem como vermes. A oração, afinal de contas, é a única forma de revolta que permanece de pé.’

Há nisso uma grande verdade sob todos os pontos de vista. Uma espiritualidade que prega a resignação em face de brutalidades ‘oficiais’, a anuência servil com frustração e esterilidade, a submissão total à injustiça organizada é uma espiritualidade que não mais se interessa pela santidade, mas se preocupa apenas com a noção espúria da ‘ordem’. Por outro lado, é tão fácil desperdiçar energia nos inúteis esforços daquela ‘cólera filha do desespero’, na recriminação vã que sente uma perversa alegria em culpar todos os demais quando fracassamos. Podemos certamente fracassar na realização daquilo que pensávamos ser a vontade de Deus para nós e para a Igreja. Mas simplesmente nos vingarmos com ressentimento contra os que nos atrapalharam não é voltar a força de nossa alma (se a temos) contra a ‘face dura da injustiça’. É outro modo de ceder a ela.

Pode haver um toque de estoicismo na linguagem de Bernanos aqui, porém não importa. Um pouco mais de força estóica não nos faria mal e não seria forçosamente um obstáculo à graça!”

Conjectures of a Guilty Bystander, de Thomas Merton
(Doubleday, New York), 1966. p. 165
No Brasil: Reflexões de um espectador culpado, (Editora Vozes, Petrópolis), 1970. p. 191


Estava com saudades de postar algo sobre Thomas Merton. Ele é um dos grandes mestres espirituais que tenho.
Se você quiser conhecê-lo visite o blog de nossa Sociedade dos Amigos Fraternos de Thomas Merton




ÓTICA...ÓTICA (Diego Fernandes)

Na esquina da Sé

Um homem fazia oferta

Na esquina da Sé com a Direita

Um homem era profeta

Ofertava...endireitava...profetizava...

Era grito para vender produto?

Desespero pra consertar a situação do mundo?

ÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICA

ÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICA

TICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTIC

ICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓTI

CAÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓT

AÓTICAÓTICAÓTICAÓTICAÓ

ÓTICAÓTICAÓTICAÓTICA

TICAÓTICAÓTICAÓTIC

ICAÓTICAÓTICAÓTI

CAÓTICAÓTICAÓT

AÓTICAÓTICAÓ

ÓTICAÓTICA

TICATIC

CAÓ

Ó

No texto “Contra o abuso da ética e da moral”1, Roberto Romano fala da inflação das palavras “ética” e “moral” e nos fornece as bases filosóficas desses termos desde a antiguidade até os nossos dias. Segundo o autor, o abuso da ética e da moral pode nos levar a um niilismo dos valores (negação da moral).

Recordo-me do grande filósofo brasileiro Henrique de Lima Vaz que freqüentemente dizia que quando perdemos o sentido caminhamos para o nada, diagnosticava acertadamente que sofríamos de “febre de ética”. Em seus Escritos de Filosofia IV na Introdução à Ética Filosófica I 2, ele se perguntava: será que a cultura humana vai se metamorfosear na cultura do niilismo? Seremos uma civilização do niilismo? A febre de ética é sinal de uma doença maior, o niilismo, a perda dos valores humanos e espirituais”.

Sim, a constatação de Lima Vaz poderia ser feita na atualidade: estamos doentes! Para ganhar crédito, o que muitos fazem é justamente falar de ética. Dá status, IBOPE, está na moda. Garante uns votos, olhares confiantes e esperançosos. Merece credibilidade o indivíduo que vive um personagem que parece ser o oposto de seu verdadeiro eu? Certamente nunca ouviram falar do famoso mote filosófico: o agir segue o ser. Romano cita Kant “o ato imoral, diz Kant, surge da alma hipócrita, exímia em bajulação. Nele, os sujeitos "rebaixam seu próprio valor moral com o simples intento de dar a si mesmos os meios para obter o favor de um outro qualquer" (Metafísica dos costumes).

E o que é Moral ? Romano outra vez nos ilumina quando recorre à tradução do verbete “moral” apresentado na Enciclopédia de Diderot e D´Alembert: MORAL, s.f. (ciência dos costumes)é a ciência que nos prescreve uma conduta sábia e os meios de a ela conformar os nossos atos. A ciência dos costumes pode ser adquirida até um certo grau de evidência, por todos os que desejam usar a sua razão, em todo estado em que encontrem. A mais comum experiência da vida e um pouco de reflexão sobre nós mesmos e sobre os objetos que nos envolvem por todos os lados bastam para fornecer às pessoas mais simples as idéias gerais de certos deveres, sem os quais a sociedade não poderia ser mantida. Com efeito, as pessoas menos esclarecidas mostram, por seus discursos e sua conduta, que têm idéias muito corretas em matéria de moral, embora nem sempre possam desenvolvê-las muito bem, nem exprimir com clareza tudo o que sentem; mas aos que possuem maior penetração devem ser capazes de adquirir, de modo distinto, todas as luzes das quais necessitam para se conduzir”.

Que não se confunda aqui conduta sábia com uma lengalenga moralista e pedante que deseja fazer dos outros gravetos para serem queimados na “fogueira santa” da consciência moral coletiva. O desafio apresentado por Romano não é apenas falar de moral, mas viver moralmente com equilíbrio. Falar e agir. Agora, como ser ético, e moralmente correto, quando as circunstâncias me pedem o contrário? Aí mora a liberdade. É comum perceber que geralmente o que rejeitamos é o que não conseguimos viver. Eric Voegelin pontuou: “O pensador ideológico cria uma linguagem para expressar não a realidade,mas a sua alienação dela.”3

E novamente o comentário elucidativo de Romano: “as dificuldades que às vezes nos embaraçam, em matéria de moral, não vêm tanto da obscuridade que encontramos nos preceitos, mas de certas circunstâncias particulares, as quais tornam difícil a sua aplicação; mas essas circunstâncias particulares não provam a incerteza do preceito, do mesmo modo que a dificuldade sentida para aplicar uma demonstração matemática não diminui a sua infalibilidade”.

Um homem que vive a hipocrisia política pode querer parecer imaculado na frente das pessoas, ou pode ter uma reação inesperada: negar a importância dos valores, já que não consegue vivê-los. Eis a nossa cultura: caminha nessa crise de sentido para o nada. Niilismo puro.

A filosofia é um exercício de virtude, disse Sêneca. Romano nos convida a perceber que olhando a história da filosofia podemos conhecer vários pensadores que se preocuparam com o tema da moral: Sócrates, Platão, Aristóteles, Epicuro, Zenão, Plotino, Plutarco, Sêneca, Cícero, Boécio, Kant, e muitos outros.

Roberto Romano conclui seu texto com uma importante observação: “finalmente, seria conhecer muito mal a religião, sublinhar o mérito da fé às expensas da moral; pois embora a fé seja necessária para todos os cristãos, podemos avançar, com verdade, que a moral supera a fé em diversos pontos.

1) Porque estamos em condições de fazer o bem, e nos tornarmos mais úteis ao mundo pela moral sem a fé, do que pela fé sem a moral.

2) Porque a moral possibilita maior perfeição à natureza humana, pois tranqüiliza o espírito, acalma as paixões, adianta a felicidade de cada um em particular.

3) Porque a regra para a moral é ainda mais certa do que a da fé, visto que as nações civilizadas do mundo concorram sobre os pontos essenciais da moral, enquanto diferem na mesma intensidade nos da fé.

4) Porque a incredulidade não tem natureza tão maligna quanto o vício; ou, para considerar a mesma coisa de outro ângulo de vista, porque é conveniente em geral que um incrédulo virtuoso possa ser salvo, sobretudo no caso de ignorância invencível, enquanto não há salvação para um crente vicioso.

5. Porque a fé parece extrair a sua virtude principal, senão a sua única virtude, da influência que ela exerce sobre a moral”.

Moral então não é questão de crença. É possível ter um código de ética, e uma moral determinada pelo grupo que eu vivo, mas é desonestidade intelectual querer que todas as opiniões tenham o mesmo peso, e rejeitar a possibilidade de encontrar verdades, inclusive no campo da moral. Existem muitas opiniões? Sim, existe diversidade cultural e divergência de opiniões, mas isso não quer dizer que a verdade seja anulada por multiplicidade de pontos de vista. Bem disse Harry Gensler em seu artigo intitulado Ética e relativismo cultural:

"Visto as diferentes culturas discordarem amplamente sobre a moral, não podem existir verdades morais objetivas." O simples fato de existir desacordo não mostra, no entanto, que não existe verdade neste domínio e que nenhum dos lados está certo ou errado. O extenso desacordo entre diferentes culturas acerca de antropologia, religião, e até em física, não impede a existência de verdades objetivas nestes domínios. Logo, o desacordo em questões morais não mostra que não exista verdade nestes assuntos”4.

Querer “igualdade” para todas as idéias, e regras morais é o mesmo que militar pedindo igualdade para todas as formas de pensar e agir, por mais insanas que sejam. Assim, na utópica e alienada sociedade democrática, teríamos idéias de grandes pensadores como Platão, Sócrates, Agostinho, Tomás de Aquino, no mesmo patamar que um devaneio que possamos ter na sala de aula. Ou pior, pessoas que têm os piores hábitos e causam danos a si mesmos e aos demais, teriam não só o direito de fazer o que bem entendessem, gozando da “mais pura liberdade” mas processariam os que lhe fossem indiferentes seguindo o conselho de Lênin: “Acuse-os daquilo que você faz, xingue-os daquilo que você é.”5 Isso sim, seria um ABUSO!


1 ROMANO, Roberto. Contra o abuso da ética e da moral. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302001000300006> Acesso em 05-06-07

2 JOÃO PAULO. Lições da História. Disponível em <http://www.padrevaz.hpg.ig.com.br/escritosIV.htm> Acesso em 05-06-07

3 CARVALHO, Olavo de. Lindeza moral incomum. Disponível em http://www.olavodecarvalho.org/semana/060209jb.htm Acesso em 05-06-07

4 GENSLER, Harry. Ética e relativismo cultural. Tradução de Paulo Ruas. Extraído de Ethics: A contemporary introduction, de Harry Gensler (Routledge, 1998). Disponível em Acesso em 26-04-05

5 CARVALHO, Olavo de. Nós e eles, ou: a dupla moral. Disponível em http://www.olavodecarvalho.org/semana/040117globo.htm Acesso em 05-06-07



Vem... (Diego Fernandes)

Empunha tua vida com as mãos...
Toma o vaso quebrado dessa tua história...
Amassa-o de novo...
Não temas voltar ao pó de onde vieste...
No fundo do poço...os fantasmas do passado...
Esfrega na cara de cada um deles o teu desejo de ser feliz...
Mostra como são fracos...bobos...enfadonhos...
Mesquinhos...ilusórios...
Agarra-te na verdade dos teus sonhos...
Suba na corda pacientemente...
Luta com unhas e dentes...
Lembra que és forte...
Teu amor encara até a morte...
Chegou a hora de mostrar que as pedras falam...
Que a prata chama:

“Vem...vem...vem...

Entrega-me teu dedo...

No rio do choro...

Encontrarás ouro...”

"Resta viver o presente do melhor modo possível.
Viver o meio-dia.
O agora é tudo.
Futuro amarra igual passado.
O futuro é Deus!"

Adélia Prado

Eu ainda lembro...eu ainda escuto a voz de Deus me dizendo...
"Todo dia é tudo novo de novo! Folha em branco... pois o passado já passou e ainda não é o momento de escrever o amanhã! Escreva o hoje! O que passou? Estará contigo... mas fique com o que é bom! Não tenha medo de tentar! Parar! Pensar! Mudar!"



Hoje senti um pouco do deserto...
Uma secura poética...
Um desejo infinito de escrever sem parar...
E vem o louco do tempo me puxar para a realidade.
Escreve: mas caminha, anda, assobia e chupa cana...

Saudades de Nova Trento...
Valei-me Santa Paulina,
No meu coração só há espaço para o choro...
O Choro como um dom sem fim...
O choro à lá Thomas Merton, Sto Inácio, ou Paulo Apóstolo.
O choro...que no meu deserto brota como água do meu coração de pedra...

No meu Prado só há espaço para Adélia...
Eu ainda te amo...mesmo longe das tuas palavras...
Quero reviver nosso deserto...

Paixão

De vez em quando Deus me tira a poesia.
Olho pedra, vejo pedra mesmo.
O mundo, cheio de departamentos,não é a bola bonita caminhando
solta no espaço.
(Poesia Reunida, p.199.)


Ausência de poesia

Aquele que me fez me tirou da abastança,
Há quarenta dias me oprime do deserto. (...)
Ó Deus de Bilac, Abrãao e Jacó,
Esta hora cruel nào passa?
Me tira desta areia, ó Espírito,
Redime estas palavras do seu pó.
(Poesia Reunida, p.189.)

Estação de maio

A salvação opera nos abismos.
Na estaçào indescritível,
o gênio mau da noite me forçava
com saudade e desgosto pelo mundo.
A relva estremecia
mas não era pra mim,
nem os pássaros da tarde.
Cães, crianças, ladridos,
despossuíam-me.
Então rezei: salva-me, Mãe de Deus,
antes do tentador com seus enganos.
A senhora está perdida?
Disse o menino,
é por aqui.
Voltei-me
e reconheci as pedras da manhã.
(Oráculos..., p.127.)


IndiVIDRO -

(Diego Fernandes)

Sou caco
IndiVÍDRO quebrado
Que alguém jogou na TERRA
Sou mosaico colado
Que você juntou praMAR

Sou esperança escondida
Feito CÉU pra te encontrar...

Olá amigos… conforme o prometido…aqui eu coloco o prefácio do meu livro “QUERO UM AMOR DE VERDADE” escrito pelo meu querido amigo, padre Fábio de Melo.

COM VOCÊS… padre Fábio:

O amor é um atributo humano que nos antecipa no tempo aquilo que já é eterno. Antecipar o céu, por meio de nossa capacidade de amar, é um jeito bonito que temos de recolher na carne de nossa humanidade o que Deus fez questão de esquecer entre nós.


Santo Agostinho nos dizia com sabedoria que Deus nos amou para que tivéssemos amor com que amar. O amor humano, ainda que marcado pelos limites de nossa condição adâmica, pode ser lugar da manifestação de Deus na história. O nosso amor humano é epifânico; é sarça que arde sem se consumir, porque a energia que produz o fogo não vem de nós. Deus está na fonte de todo amor.


Camões poetizou bem ao dizer que é fogo que arde sem se ver. Gabriel Marcel intuiu maravilhosamente ao filosofar, que só o amor é capaz de nos resgatar da morte. Adélia Prado, maternalmente nos revela, que tudo aquilo que a memória amou já ficou eterno…


Os poetas sabem das coisas, e Diego Fernandes é um menino poeta. Descobriu o gosto de brincar com as palavras e delas extrair verdades consistentes. Mas ele escreve com leveza, porque tem o dom de colocar um sorriso na frase que repreende. Esse é o dom de evangelizar pela força da ternura.


Ele anda se desdobrando na bem-aventurança de rabiscar o mundo com palavras evangélicas, que soam em nossos ouvidos de forma tão atual. Diego aceitou o desafio de expor as possibilidades e as precariedades do amor. Ousou demonstrar que o amor, essa faca de dois gumes, pode fazer crescer, como pode machucar. Volto a dizer. Amor é atributo humano e divino ao mesmo tempo. O que é divino já é puro por natureza, mas por também ser humano, carece de passar pelo crivo da purificação, para que volte a ser imaculado.


Diego resolveu expor seu coração. Não é possível falar de amor sem antes passar pela experiência de ter essa adaga cortando-lhe a alma. Só as almas cortadas pela lâmina do amor poderão viver a cicatriz que nos identifica como amantes da vida.


Este livro é feito para quem já sabe tudo isso, mas é também para quem ainda não aprendeu. Para quem sabe, porque é sempre bom saber de novo. E para quem ainda não aprendeu, porque é sempre bom encontrar a novidade, e com ela aprender.


Que seja assim. Que na linguagem deste menino, que tem sotaque do sul do país, nós possamos redescobrir a graça de nortear nossos amores, desafiar nossos temores, e seguir pela vida, amando, morrendo e ressuscitando.


Ninguém ama sem morrer um pouco, mas ninguém é amado sem ressuscitar também. Por isso precisamos dos dois movimentos do amor. Na morte, o empenho que nos prepara como humanos. Na ressurreição, a delícia de já poder sentir na carne o surpreendente sabor daquilo que já é eterno.
Só o amor pode nos movimentar para a eternidade. Que essas palavras tão cheias de sabedoria sejam um remanso a nos conduzir.


Com carinho, benção e desejo de alegrias,
padre Fábio de Melo


Aquele dia… 14 de julho foi a confirmação de Deus para mim! Sou limitado…mas Deus me escolheu! Para Ele nenhum caso está perdido! Todo dia… Ele me dá uma folha em branco… uma nova chance… Hoje eu quero reescrever minha história! Quero entender que posso ser Dele sendo diferente e jovem! Quero agradecer a todos os meus amigos que foram ao show e rezaram comigo… e ali reconhecemos o quanto necessitamos de Deus e que somos profetas da revolução que já começou: REVOLUÇÃO JESUS!

Viva a Revolução Jesus!!! Tamu junto !!!


E ai, blz? Quero convidar vc para estar comigo celebrando a fé, o amor, a vida!

Em comemoração a reabertura da Canal 45 - Canção Nova, O Teatro Casanova em parceria com a Rede Canção Nova trazem a Belo Horizonte dia 07 de julho Diego Fernandes, com o Show oficial de pré- lançamento de seu CD “Folha em Branco”. Durante a tarde Diego fará palestra e lançamento de seu novo livro “ Quero um amor de verdade”. Diego é produtor e apresentador do programa Revolução Jesus na TV Canção Nova. Toda a renda será revertida à Comunidade Canção Nova


Programação:
07/07/2007 - 15h às 17h: Palestra e lançamento do Livro “Quero um Amor de Verdade”, entrada franca adquirindo o ingresso do show.
07/07/2007 - 20h : Show oficial de pré- lançamento do CD “Folha em Branco”, entrada: R$ 10,00

Os ingressos estão disponíveis antecipadamente nos seguintes pontos de venda:
1. Eldorado/Contagem - Ponto católico - Av. João Cesar de oliveira, 2 792, lj 27 - 3356 6836
2. Centro/Contagem – Loja São Bento – rua. Antônio Augustus 150 (próx. Paróquia São Gonçalo) – 3396 7033
3. Centro /BH - Mãe da Igreja - Rua São Paulo 1207 - 3272 0515
4. Barreiro /BH– Loja Jumarque – rua Alcindo Vieira, 138 (próx. Ao Hosp. Sta. Lúcia) – 3384 8107

5. Lourdes/BH – Dominus Casa de Cultura – av. Olegário Maciel, 1233 – 3292 3802

6- Vendas tb no MUNDO NOVO…



VOCÊ VAI ? E aí? Preciso de amigos… de LUZES… você será a ILUMINAÇÃO…VOCÊ VAI ? Deixe seu comentário… de “sinto muito não vou ser luz no seu show Diego”… ou “a iluminação está garantida… rs!” ESPERO POR VC E SEU COMENTÁRIO…

Diego Fernandes fala do novo CD

A Gravadora Canção Nova se prepara para mais um lançamento: o CD Folha em branco, de Diego Fernandes, em julho deste ano, no Acampamento PHN. Com 25 anos, o jovem traduziu neste trabalho um pouco de sua trajetória com Deus.


Marcado pelas composições 'estilosas' do cantor, o álbum tem uma linha jovem, no ritmo Pop Rock, e conta com participações especiais de Dunga e Eliana Ribeiro.

Em entrevista, Diego Fernandes revela os bastidores desse CD, o primeiro de sua carreira


Por que "Folha em Branco"?

Naquele dia, eram apenas eu, o violão, o choro e um sentimento de ser um caso perdido! Porque eu não conseguia mudar? Tudo pedia para que eu mudasse de forma verdadeira, mas na minha cabeça, eu só conseguia pensar numa frase: "Minha história já foi escrita errada!" E nesse turbilhão de sentimentos, eu comecei a rezar com meu violão. Deus me deu um "choque", dizendo-me profeticamente: "Meu filho, todo dia Eu te dou uma folha em branco para que reescrevas a tua história. Todo dia é tudo novo de novo! Folha em branco, pois o passado já passou e ainda não é o momento de escrever o amanhã! Escreva o hoje!” A cada dia, eu recebo uma folha em branco do Criador. Sou escritor. Você também o é. Vamos escrever bem esta folha em branco que recebemos hoje, para não termos medo de lê-la no futuro para alguém.

Como você buscou inspiração para gravar esse álbum?

O CD inteiro fala de encontro. Encontro com nós mesmos, com Deus e com o amor da nossa vida. Quem não experimenta a si próprio é incapaz de experimentar a Deus. Mais do que buscar inspirações, eu percebi – durante todo o processo de gravação – que Deus me iluminava e eu estava revivendo aquilo que tinha escrito havia alguns anos, mais do que nunca. Penso ter seguido o conselho de Carlos Drummond de Andrade: "Convive com teus poemas antes de escrevê-los". Lembrei-me muito da minha história com Deus, das passagens bíblicas que guiaram a minha vida e alimentaram a minha fé. Tudo isso está nas letras das músicas e na arte do disco. A arte do encarte completa o que as músicas revelam. Há muito significado em cada símbolo que utilizamos. Deus tem muitos caminhos para mudar alguém. Ele é Criador! Cria sem cópias! A experiência de Deus é sempre única, irrepetível. Ela pode se dar por meio de um ícone, uma foto, uma frase, um trecho da Bíblia. Fiz questão de colocar tudo o que vivi, pois sei que o Espírito Santo guiará cada um que entrar em contato com o CD. Quem ouvir "Folha em Branco" vai se apaixonar por Deus e nunca mais vai pensar em desistir da vida.

O que significam as músicas de trabalho?

Iremos trabalhar com 3 músicas:

Sou Deus contigo - Essa música, eu fiz num tempo em que tudo parecia dar errado e eu me senti muito sozinho. Alguns amigos, que eu pensava que fossem amigos, viraram a cara para mim. Pessoas, que tinham me incentivado nos primeiros passos da minha fé, me largaram. Os meus erros pareciam muito grandes e poderiam manchar a santidade delas. Deus não pensa assim. Ele não nos deixa de amar porque erramos. Seu amor é diferente do nosso, pois o amor de Deus não muda. Bem disse Santo Agostinho: "Deus não nos ama porque somos bons, mas somos bons porque Deus nos ama!" Só Ele não nos decepciona. Tenho certeza de que foi Ele quem me escolheu e que nunca vai me deixar. Ainda que meus planos todos tenham fracassado, ainda que tudo tenha aparentemente dado errado, Deus está sempre atento, fiel, ao meu lado, para me levantar e dar amor. Quem ouvir "Sou Deus contigo" fará uma experiência com um Deus apaixonado!

O Melhor Pra Mim – Estava em missão no Japão, e muitas coisas na minha vida precisavam ser definidas. Tinha muitos planos, mas tinha medo de concretizá-los. O que eu fiz foi pedir ao Espírito Santo que me desse coragem para eu ser de Deus sem reservas, entregando meu futuro, minha vida, meus projetos todos para Ele. A certeza que eu tinha naquele dia era a de que Deus sempre traz o melhor para nós, ainda que não entendamos, Ele tem sempre o melhor! E, de fato, após alguns dias, o melhor aconteceu para mim! E eu aprendi a ser livre com Deus, sem ter medo de Lhe pedir que me mostrasse qual o caminho a seguir, ensinando-me inclusive a sonhar. O Senhor tem o melhor para mim, e só Ele é capaz de iluminar a estrada do meu caminhar.

Folha em Branco – Significa recomeço, abandono de qualquer determinismo. Nossa história não nos foi entregue pronta. Na qual tudo estava determinado ou escrito para acontecer. Nós podemos escrever bem nossa vida, mesmo tendo um passado de erros, e uma história de sofrimento. Temos a liberdade de ter a nossa vida nas mãos e fazer dela o que quisermos. Cada dia é uma oportunidade nova, uma folha em branco cheia de possibilidades para enchermos de coisas boas e com significado. "Folha em Branco" é a resposta dos que não esperavam mais respostas. É uma música que vai encher de esperança o coração dos desesperados, e acalmar o coração ansioso dos que sofrem por antecipação, querendo planejar a vida inteira num só dia.

Qual o público você deseja atingir?

O CD é uma fotografia do meu relacionamento com Deus. Canto de um jeito meu, jovem, ousado, e com um desejo enorme de encontrar a Deus! Por isso, o público que mais vai se identificar é o jovem! Mas quem não é jovem? Costumo brincar que os que passaram dos 30 acumulam juventude. Então, certamente, muita gente que aparentemente não é mais tão jovem também irá curtir o álbum.

O que espera desse CD?

Espero que as pessoas – que o ouvirem – redescubram a vida! Ela é breve e deve ser bem vivida! Cada dia, cada minuto... Espero que este trabalho leve as pessoas a terem uma maior sensibilidade para com elas mesmas, que sejam mais humanas, mais elas mesmas. E dessa forma, descubram a necessidade que têm do Divino; para isso, escolhi músicas de comunhão, adoração, do Espírito Santo, de encontro com Deus, cura interior, mensagem, de amor, e muitas outras que as levam a ter a certeza do quanto são importantes para Deus. Gostaria muito de ver as músicas do CD Folha em Branco serem cantadas e realizando prodígios e milagres, assim como as músicas, de minha autoria, que a Eliana Ribeiro gravou no seu último CD Espera no Senhor: "Livre Acesso", "Deus te Vê", "Sempre Caminhar", "Cântico de Adoração" e "Você e Eu".




:: Release do CD Folha em Branco


FOLHA EM BRANCO - Diego Fernandes


A VIDA SEGUE SEU RUMO
VOU ESCREVENDO MINHA HISTÓRIA
A CADA DIA EU RECEBO
UMA FOLHA EM BRANCO DO CRIADOR...

VOU ESCREVER O HOJE...
SEM ME PREOCUPAR COM O AMANHÃ...
SIM, JÁ PASSOU O ONTEM!
SÓ QUERO FICAR COM O QUE É BOM!

EU NÃO TENHO MEDO DE TENTAR!
PARAR! PENSAR! MUDAR!

Se já ouviu o CD, ou algum texto meu falando sobre isso...ou ainda se uma outra pessoa falou e vc se identificou...aqui é o seu lugar. Comunidade FOLHA EM BRANCO no ORKUT

Todo dia é uma página, todo minuto uma linha em nosso livro. Por isso, é preciso aceitar o passado, as derrotas e as vitórias, as qualidades e os defeitos, inclusive os pecados. Vamos escrever uma nova página hoje, para não ter medo de ler no futuro para alguém.


Você curtiu a capa? O Encarte ficou muito loko! Dê a sua opinião!

reduzida.jpg

"Deus, meu amigo, razão da minha existência, tão breve, tão intensa e cheia de possibilidades...Obrigado por cada FOLHA EM BRANCO... por cada oportunidade, cada dia, cada amizade, cada presença tão única aqui, ali e em cada lugar por onde passei! Não desisti de meus sonhos... porque O Senhor acreditou primeiro! Não deixarei que aqueles que estiverem comigo desistam de suas vidas, pois sei que é maravilhoso... viver...e não deixar as coisas pra depois! Te amo... meu Deus... meu amigo..Deus-criança que me desafia a brincar como um poeta, buscar a sabedoria de um filósofo e viver com a simplicidade de um monge! TE AMO! OBRIGADOOOOOOOOO PELA VIDA! QUERO VIVER INTEIRAMENTE PRA TI"

Teu amigo,

Diego Fernandes



Meus amigos blogueiros e revolucionários…

Deus não nos chama para uma vidinha qualquer. Ele nos quer vivendo no poder do seu Espírito, guiados por Ele. Vivendo na unção, pedindo seus dons, buscando a sua vontade acima de qualquer coisa. Não quer que façamos uma experiência com Deus à pronta entrega. A experiência é pessoal, mas eu me iludo se crio um “deus” que atenda a todas as minhas exigências. Eu preciso converter meus pensamentos e meu coração a Deus e não o coração de Deus aos meus pensamentos. A conversão é minha e não Dele. Portanto, não se iluda, Deus não muda! E continuará sendo o melhor pra nós!

Acima de qualquer ilusão que eu possa ter de Deus, é o Senhor que me escolhe para estar com Ele. O Espírito Santo escolhe primeiro. Quando estou na sua presença, quando conheço este Deus tremendo, cheio de LUZ, a sua força me invade, me preenche, me convida, e então sou atraído por Ele. Escolho Deus, mas é Ele quem me escolhe primeiro sempre. O seu fogo me atrai, me chama, me queima, e meu coração não vai encontrar sossego enquanto não estiver com o Espírito. Livremente escolho Deus, peço para que viva em mim, pois estou apaixonado por Ele, e não consigo mais viver se não for na sua presença. Então vivo o que Paulo disse: “já não sou eu que vivo é Cristo que vive em mim!” (Gal 2, 20)

ANAZOPIREIN . . . vem do grego e quer dizer “soprar as cinzas”. Todos os dias devemos “soprar as cinzas”, reacender aquilo está sem vida em nossa vida. Como o nome lembra remédio, podemos dizer que é o remédio do Espírito Santo que necessitamos tomar várias vezes ao dia. Para os mais necessitados, que seja aplicado na veia. ANAZOPIREIN!

Se você está apagado, sem ânimo, sem força pra viver, ou ainda, vivendo de um jeito que tudo, por melhor que seja, por mais interessante que possa parecer para os outros, não tem graça alguma pra você, peça o fogo do Espírito Santo! Mantenha viva a chama que recebemos da parte de Deus. ( Leia 2 Timóteo 1,6 ) Se você não recebeu o fogo de Deus, eu clamo a Deus que envie sobre você agora o Espírito Santo capaz de revolucionar tudo em você! Deixa-te queimar! O fogo cairá sobre você e a força de Deus, levará sua vida para um outro rumo. Viver na LUZ! LUZ! Que vem do Fogo do Espírito Santo!

Quem acredita vive o que viveram os primeiros jovens da Renovação Carimática Católica, quando numa universidade pediram o batismo do Espírito e realizaram uma missão iluminadora para toda a Igreja. Na mesma época acontecia o Concílio Vaticano II, e o mundo vivia a revolução sexual os efeitos do Festival de Música e Artes de Woodstock. O que de fato revolucionou? A revolução sexual e Woodstock? Não. Sexualmente as pessoas se tornaram mais neuróticas. Woodstock foi um show que com ares contraculturais escravizou jovens nas drogas e num sexismo alienado.

O que revolucionou de fato o mundo foi o que viemos na Igreja. Está sim, é a verdadeira revolução. A Revolução Jesus… capaz de mudar o mundo. Vivemos a Revolução do Fogo! O fogo que caiu sobre os jovens que oravamna Universidade em Dusquene (EUA) e marcou o início da Renovação Carismática Católica! Agora é a Era do Espírito! É o Tempo do Avivamento! É o momento do ANAZOPIREIN!

Graça! Liberdade! Luz e Fogo!

Seu amigo,

Diego Fernandes

Tradução da música “Fire Fall Down” - Hillsong United que está no vídeo

O fogo cai
Sobre nós que oramos …
Tu devolveste a minha vida com o sangue
Que Tu derramaste na cruz
Quando Tu morreste pelos pecados dos homens
E deste um grito, crucificado
Agora vives em mim

Essas mãos são Tuas
Toque-os para servir
Como Tu queres, e alcançarei
Desesperado ver toda a grandeza de Deus
Minha alma pode descansar segura em Ti
Nunca mais serei o mesmo
Não, nunca mais serei o mesmo

Pois sei que Tu estás vivo
Tu vieste para firmar minha vida quebrada
E cantarei para glorificar
Teu santo Nome, Jesus Cristo

Tu mudaste tudo
Tu fizeste cair a muralha
Quando falei e confessei
Em Ti sou abençoado
Agora ando na luz
Na vitoriosa visão de Ti

O fogo cai
O fogo cai
Sobre nós que oramos
Como buscamos
O fogo cai
Teu fogo cai
Mostre-me Teu coração
Mostre-me Teu caminho
Mostre-me Tua glória


Hoje me deu um desejo tão grande de conhecer a Deus. De reconhecê-lo. De perceber se estou mesmo me relacionando com Ele, ou com algum "deusinho" que eu criei. Quero muito ser livre. Se eu conhecer a verdade, ele me prometeu a liberdade. Estou tranquilo, mas com o coração ardendo. Já conversei com alguns amigos, olhei pra natureza, pesquisei na internet. Para Deus, falo o mesmo que ele falou para Adão: ONDE ESTÁS?

"Deus, tô indo dormir. Agora já está quase amanhecendo. Trabalhei pra ti. A M. D.G. Se quiseres me encontrar...estou dormindo. Pode me acordar...quero falar contigo. Vou aceitar o teu convite de ser verdadeiramente livre. Mas e a verdade? O que é? És tu? E tu quem és? Eu? O que sou para ti? E, tu meu Deus, quem dizes que eu sou? Podes me falar em sonho...assim como fizeste com José. Fiat! Fiat! Fiat!
LUZZZZZZZZZZZZZZ! Muita...
Um bjo!
Fui! Amém... Amém...Amém..."

Agora durmo com a frase da Adélia na cabeça:
“Quem entender a linguagem entende Deus cujo Filho é o Verbo.”



Finalizada a gravação de voz do CD Folha em Branco. Dê uma espiada...e comente!!!



Confira a conversa que tive com o produtor do meu CD, Fábio Henriques.

Em breve… visite www.fabiohenriques.com.br

Compre o livro do Fábio Henriques- GUIA DE MIXAGEM - (Editora Música e Tecnologia)



Conheça o setor administrativo da gravadora Canção Nova e espie comigo a gravação das guitarras do meu CD Folha em branco.





LANÇAMENTO DIA 14 DE JULHO NO ACAMPAMENTO PHN EM CACHOEIRA PAULISTA-SP!
ESPERO POR VOCÊ!


Pois é, galerinha do meu blog! O CD tá chegando! Dia 14 de julho heim, aqui em Cachoeira Paulista-SP! É meu primeiro CD e estou bem feliz com ele. Já passamos as fases de pré-produção, arranjos, gravação de baixos e baterias. Agora são as guitarras, os violões, tem umas duas músicas que têm teclado e depois é voz, back, mixagem, masterização, e já estará na mão da galera....

Revelando os segredos...

O ritmo está muito legal. Light Rock. Um som gostoso de ouvir com guitarras marcantes e letras de evangelização direta. Está confirmada a participação de Eliana Ribeiro e o meu querido Neli para fazer os backs. Não lembrou do Neli ? Era o vocalista da Banda YAHWEH. Com certeza vai ficar muito legal. A produção está por conta do Fábio Henriques. Um cara super profissional. Engenheiro de áudio que já tocou com gente do cenário da MPB e têm dois Grammys por isso. A gente tá programando umas coisas inovadoras em relação à gravação. Aguarde... e ainda teremos outra participação... ( não vou contar tudo de uma vez né...rs)

Tem também uma pitada de poesia...e é claro a força da mensagem do título: FOLHA EM BRANCO. Abaixo coloquei um trechinho do meu livro que fala sobre o tema do CD. Espero que você goste.

"Realidades passadas não podem ser mais destruídas. Só há uma atitude: aceitá-las. Tudo o que fizemos uma vez, tudo o que se passou conosco, faz parte de nosso “patrimônio histórico”, de nossa autobiografia, de nosso “livro de vida”. E desse livro nada se arranca, nada se raspa. Sim, somos todos “escritores”. Essa obra é única, ninguém escreve duas vidas. Não podemos chegar a Deus como o aluno chega ao professor: “Dê-me outra folha que borrei esta”. Nada se repete na vida, ela vai acontecendo, vamos aprendendo a escrevê-la, vivendo. E o que escrevemos a cada momento, fica eternamente escrito. Um dia qualquer Deus nos tira a “pena” da mão e escreve debaixo do nosso último rabisco: Fim! Não adianta lamentar-se: “Ainda não terminei!”
Todo dia é uma página, todo minuto uma linha em nosso livro. Por isso, para caminhar rumo à perfeição é preciso aceitar o passado, as derrotas e as vitórias, as qualidades e os defeitos, inclusive os pecados. Vamos escrever uma nova página hoje, para não ter medo de ler no futuro para alguém. (Trecho do capítulo "Viver o tempo, reescrever a história" do meu livro "Fala sério! é proibido ser diferente?")


Da esquerda para a direita: Fábio Henriques (Arranjos e Produção Musical), Diego Fernandes, Rogério Prince (Arranjos e Batera), Rinaldo Xabú (Arranjos, Guitas e Violões), Felipe Adamo (Técnico, Arranjos e Produção), Samuca (Arranjos e Baixo).







Senta aqui
(Diego Fernandes)

Entra. Senta. Aqui é teu lugar!
A porta sempre esteve aberta...
Vês o papel na poltrona? Tem o teu nome...
Marcas de guache, crepom e tenaz...
Percebes há quanto tempo te espero?
Sim, é de verdade...
É diferente dos amores da infância...
Eu namoro...e tu sabes...

Falo que te amo...
Rasgo meu coração...
Pra você fazer colagem...
Desenho, pinto, canto, danço e choro!
Remontamos nossa história?
Não é preciso jogar nada fora...
Vamos resignificar tudo...
O bilhete na casa do amor...

Sobreviveu ao espaço, tempo, medos, separações, dor!
Se é real?
Sempre te amei !!!
Apenas nos encontramos depois...
Amar é relembrar...
É revirar as águas...
Agora...que tens a duvidar?
Vem...já nos molhamos...
Amor é água...que pode solidificar...
Vamos recriar nossa realidade...
É poesia...
É mais que isso...
É de verdade!
Minha vida,
Meu corpo inteiro...
Minha história...

Minha pessoa ...grita cada vez mais alto o teu nome!

Capítulo - Só o amor aproxima o que é diferente

Os anos passam, e o respeito pode se desgastar. Nunca podemos esquecer de que as pessoas são diferentes e seus temperamentos também. Haverá pessoas que serão mais tímidas e outras mais extrovertidas, o fato, é que não se pode querer que o outro aja da mesma forma que nós mesmos. A diversidade enriquece, ainda que no primeiro momento pareça uma chatice, ter que conviver com alguém que é muito calado ou muito falador. Como num espetáculo musical, o namoro precisa ter momentos de calma e de euforia. Aplausos e silêncios. Cada um vai colaborar do seu jeito. Quando um respeita o ritmo do outro, podemos contemplar a beleza da harmonia. Como observou o autor do “Pequeno Príncipe”, Saint Exupéry: “Aquele que é diferente de mim não me empobrece: me enriquece”.

CONVITE - LANÇAMENTO: A data prevista para a chegada nas livrarias é 30 de abril. Dia 10 de junho quero convidar você para o encontro com o título do livro aqui na Canção Nova (Cachoeira Paulista-SP) . Será o Domingo todo! (Autógrafos, palestra, música, oração, testemunho e missa).



Alguns cristãos têm o estranho costume de mergulhar no lodaçal da soberba espiritual e ao invés de se converterem ao Evangelho, convertem o Evangelho para si mesmos. Lambuzando-se na mistura lama-e-lavagem, sorriem orgulhosos, como suínos em seu habitat natural. Amortecidos por sua petulância, não conseguem voltar à sua condição humana. Nesse ponto o que é humano, e espontâneo, e longe de seu mundinho enlameado, é considerado anormal e pecaminoso. Não querem apenas o direito de viver sua condição inumana. Querem ser mestres da lei. Sim, “mestres do lodo espiritual” que o avesso do seguimento da Lei de Deus. Criam uma regra de vida que se adapte aos seus interesses e modos de julgar. Estudam a Bíblia não para verem suas vidas transfiguradas pela Luz de Jesus. Entra ano, sai ano, e permanecem na decoreba de versículos que se transformam em flechas venenosas ao serem lançados no rosto do outro.

Na Bíblia dos “mestres do lodo espiritual”, tudo está fora do contexto. Discernimento, misericórdia, caridade, e prudência são palavras riscadas. Capítulos inteiros são excluídos para que possam exercer sua esquizofrenia autoritarista. Os “irmãos”, são medidos a partir de sua própria maneira de experimentar o mundo e a fé, e não segundo os ensinamentos de Jesus.

A régua, a medida, são suas convicções caolhas. Nunca o amor ou a misericórdia, virtudes próprias daqueles que se deixaram penetrar pela verdadeira metanóia (mudança de rumo, conversão). Qualquer demostração de espontaneidade na maneira de se relacionar com Deus pode ser considerada pecado e dos grandes, mortal, quem sabe. O “mestre do lodo” julga ser um profeta que recebeu em mãos, do próprio Deus, a verdade salvífica e o “Manual-do-comportamento-cristão-maduro-na-fé”.

Os “mestres do lodo espiritual” tentam arrogar a si mesmos o direito de definir maneiras de rezar e de se comportar. Esquecem de São Paulo: "Ali onde está o Espírito do Senhor, ali está a liberdade" (2Cor 3, 17). São algozes que em nome de uma regrinha inventada para favorecer seus caprichos narcisistas, escravizam os que lhe são confiados. Autoridade confundida com complexos e traumas, torna grandes líderes espirituais em ditadores vorazes! "Estupidez criminosa" este é o termo usado pelo filósofo Eric Voegelin quando as elites alemãs não quiseram enxergar o óbvio: os perigos do nazismo. Eles teimaram até o fim. Abusaram de seu direito à imbelicidade.

O termo "estupidez criminosa" se encaixa como uma luva nos “bispos” da igreja Universal que apresentaram o programa Fala que eu te escuto” neste último sábado. Ao ligar a TV no canal da igreja, me deparo com o programa e o tema do dia: “O papa disse: O 2º casamento é uma praga! Você também pensa assim?”

O sarcasmo anti-cristão transmitido ao vivo para todo o mundo superou qualquer movimento anti-clerical dos últimos séculos. A mídia inteira: outros canais, jornais impressos, revistas, etc...tinham tratado do tema. Porém, o tratamento que os seguidores da seita macediana deram ao assunto foi de uma desonestidade intelectual e cristã sem tamanho. Eles sabiam que foi um erro de tradução. Vários veiculos de comunicação mostraram a falha (veja mais abaixo). Porém, isso não importava, seguiam com sua "estupidez criminosa" exibidas em risadinhas sarcásticas ao longo do programa.

Para os que se deixaram iludir, ou querem saber o que de fato, o Papa Bento XVI disse, sugiro a leitura do texto abaixo que está livre da canalhice presente na teologia-de-botequim
dos seguidores da empresa-seita-emissora macediana.


Para Papa, divórcio é uma «chaga», não uma «praga», explica bispo
Sobre o texto da exortação apostólica «Sacramentum Caritatis»

PATOS DE MINAS, sexta-feira, 16 de março de 2007 (ZENIT.org).- «Um cochilo, ou o cansaço do tradutor» --explica um bispo brasileiro-- levou-o a confundir uma palavra italiana com uma semelhante em português, ao traduzir o texto da Exortação Apostólica Pós-Sinodal «Sacramentum Caritatis», divulgada por Bento XVI esta semana.

A palavra portuguesa «praga» em italiano se diz: «peste». E «piaga» em italiano significa «chaga» em português, afirma Dom João Bosco Oliver de Faria, bispo de Patos de Minas (sudeste do país), em artigo enviado a Zenit esta sexta-feira.

Teve grande repercussão nos meios de comunicação no Brasil o termo «praga» que teria sido usado por Bento XVI em sua Exortação [cf. n. 29], referindo-se com ele ao divórcio e, de certa forma, magoando os corações daqueles que vivem um divórcio, explica o bispo.

«Todos os que constituem uma família, o fazem na esperança da construção de um sonho e projeto de vida com uma pessoa de sua atenta, criteriosa e dedicada escolha. Mas sabemos que cada pessoa é um mistério. Só o tempo e a convivência nos permitem um conhecimento verdadeiro e mais profundo daqueles que amamos», afirma Dom João Bosco de Faria.

«E, por mais criteriosa que tenha sido tal escolha, não são poucos os que, entre lágrimas de decepção e de dor, vêem cair por terra as esperanças de uma vida feliz no casamento. Em toda separação matrimonial, há um mais inocente que o outro. E toda e qualquer separação, ainda que, inicialmente eufórica por um dos parceiros no amor, ela carrega o amargor da decepção, da dor e da frustração», enfatiza.

Segundo o bispo, em seus 38 anos de sacerdócio, «todos eles sempre muito perto de tantos e tantos casais, testemunhei o cair de lágrimas amargas dos olhos daqueles que se viram compelidos a uma separação matrimonial. Sofre o casal, sofrem as famílias envolvidas, sofrem muito mais os filhos».

E Dom João Bosco recorda que Bento XVI, ao longo de toda sua vida de serviço à Igreja, soube se manter bem perto das pessoas, nas suas alegrias e nos seus sofrimentos.

«Suas palavras, nessa Exortação Apostólica, retratam com cores bem vivas o quanto o divórcio significa de sofrimento para o casal e para suas famílias», explica.

Segundo o bispo, ele usa a palavra «chaga», que significa «ferida aberta, cicatriz deixada por essa ferida», para evidenciar tanta dor.

Dom João Bosco de Faria apresenta o fragmento em questão, já corrigido por ele, da Exortação «Sacramentum Caritatis»:

“Por isso, é mais que justificada a atenção pastoral que o Sínodo reservou às dolorosas situações em que se encontram não poucos fiéis que, depois de ter celebrado o sacramento do Matrimônio, se divorciaram e contraíram novas núpcias. Trata-se dum problema pastoral espinhoso e complexo, uma verdadeira CHAGA do ambiente social contemporâneo que vai progressivamente corroendo os próprios ambientes católicos. Os pastores, por amor da verdade, são obrigados a discernir bem as diferentes situações, para ajudar espiritualmente e de modo adequado os fiéis implicados”.

«Cito o texto oficial em italiano, na frase específica: “Si tratta di un problema pastorale spinoso e complesso, uma vera PIAGA dell`odierno contesto sociale che intacca in missura crescente gli stessi ambienti cattolici”».

«O Papa tem muito carinho e afeto com todos aqueles que vivem em situação de divórcio e pede aos Bispos e Sacerdotes que “procurem ajudar de modo adequado os fiéis”», enfatiza o bispo.

Fonte: ZENIT.org
Foto: Do livro "NOME" de Arnaldo Antunes


A psicose é tão grande que o governo e grande parte da mídia não só quer impedir a Igreja de falar ao seus fiéis sobre a castidade, abstinência sexual, e fidelidade conjugal. Quer culpá-la por impedir a prevenção da AIDS!

No capítulo SEXO SEGURO do meu livro Fala sério, é proibido ser diferente?, sublinhei:

Revista Época, no dia 12 de julho de 2004:
"A camisinha, o mais popular método de prevenir o HIV, causou discussões durante a 15ª Conferência Internacional de Aids, em Bangcoc, na Tailândia. O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, trouxe à tona uma polêmica que já deixou muitos ativistas irritados com Washington e com a Igreja Católica por comentários semelhantes. Museveni afirmou que a abstinência sexual, não o uso de preservativos, era a melhor maneira de impedir a disseminação do vírus da Aids. Os comentários do presidente da Uganda, apesar de contrários ao conselho consensual dos especialistas em Aids e sanitaristas, vêm do líder de um país que se tornou um exemplo raro de sucesso na luta contra a Aids na África, ao reduzir signifi cativamente a incidência que já foi das mais altas do continente. Nos anos 80, Uganda tinha 30% de infectados na população de 15 a 49 anos. A incidência caiu para 6% dos 26,5 milhões de habitantes".

No mesmo capítulo relembro: [...] RESOLUÇÃO DO CONSELHO EXECUTIVO DA OMS (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE), DE 29.01.92 AFIRMA CLARAMENTE: “A OMS QUER QUE SE SAIBA QUE SOMENTE A ABSTINÊNCIA SEXUAL E A MÚTUA FIDELIDADE ELIMINAM O RISCO DA AIDS!”.

LEIA NA ÍNTEGRA: SEXO SEGURO - Diego Fernandes

O filósofo Olavo de Carvalho denuncia em seu artigo Brasil Macunaímico: “Na página do Ministério do Trabalho, www.mtecbo.gov.br/busca/competencias.asp?codigo=5198, encontra-se um manual de ensino distribuído pelo governo brasileiro a interessadas e interessados em seguir carreira no ofício de prostituta ou prostituto. Muitos visitantes do site se escandalizam com o conteúdo das instruções. Eu não. Vejo nelas um auspicioso sinal de restauração da moralidade. Num país onde todos pontificam sobre o que ignoram, nossos governantes dão um exemplo de probidade intelectual lecionando matéria na qual têm a autoridade da longa prática.”

LEIA NA ÍNTEGRA: Brasil Macunaímico- Olavo de Carvalho

Leia também: AIDS, BRASIL E UGANDA- Olavo de Carvalho