Hoje me deu um desejo tão grande de conhecer a Deus. De reconhecê-lo. De perceber se estou mesmo me relacionando com Ele, ou com algum "deusinho" que eu criei. Quero muito ser livre. Se eu conhecer a verdade, ele me prometeu a liberdade. Estou tranquilo, mas com o coração ardendo. Já conversei com alguns amigos, olhei pra natureza, pesquisei na internet. Para Deus, falo o mesmo que ele falou para Adão: ONDE ESTÁS?

"Deus, tô indo dormir. Agora já está quase amanhecendo. Trabalhei pra ti. A M. D.G. Se quiseres me encontrar...estou dormindo. Pode me acordar...quero falar contigo. Vou aceitar o teu convite de ser verdadeiramente livre. Mas e a verdade? O que é? És tu? E tu quem és? Eu? O que sou para ti? E, tu meu Deus, quem dizes que eu sou? Podes me falar em sonho...assim como fizeste com José. Fiat! Fiat! Fiat!
LUZZZZZZZZZZZZZZ! Muita...
Um bjo!
Fui! Amém... Amém...Amém..."

Agora durmo com a frase da Adélia na cabeça:
“Quem entender a linguagem entende Deus cujo Filho é o Verbo.”

2 Comments

  1. anawîm Says:

    "E, tu meu Deus, quem dizes que eu sou?"
    Ficaremos bem surpreendidos quando ouvirmos a resposta d'Ele, numa linguagem que não é destes pequenos mundos em que vivemos...

    Gostei imenso de passar por aqui

    um abraço em Cristo, a única Palavra

     
  2. mor Says:

    rezas assim é q verdadeiramente são orações: um grito da alma.

    Simples como a da criança que ainda nem sabe falar direito.Mas,sincera como a de um humano necessitado do Divino.

    Deus te vê. Deus! ... vê a gente.